São Paulo de Fato

Carnaval de rua é cancelado em São Paulo

Prefeito Ricardo Nunes suspendeu os festejos devido à alta de casos de covid-19 na capital paulista ..

Imagem de capa
Desfile do Bloco Brás Pereira Banda Show 2020
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

 


Além de São Paulo, outras 12 capitais cancelaram o Carnaval de rua: Campo Grande, Cuiabá, Teresina, Belém, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Florianópolis e Curitiba, São Luís, Recife e Maceió.

O prefeito Ricardo Nunes explicou a decisão: “O cenário epidemiológico indica que na cidade de São Paulo nós teríamos que cancelar o Carnaval de rua e existiu uma proposta de se fazer um Carnaval controlado com passaporte da vacina em ambientes grandes e abertos, como o autódromo (de Interlagos), que também foi sugerido pela vigilância… Foi descartada essa possibilidade. As decisões da prefeitura são baseadas na ciência e respeito aos técnicos da Saúde”.

O Rio de Janeiro também cancelou os desfiles de rua. O anúncio foi feito no início da noite de terça-feira (4) pelo prefeito Eduardo Paes (PSD). Também foi mantido os desfiles das escolas na Sapucaí.

Blocos desistem em São Paulo

Antes da decisão da prefeitura de cancelar o Carnaval de rua, os blocos de São Paulo divulgaram um manifesto, na quarta-feira (5), já desistindo dos desfiles. As entidades afirmam que não foram incluídas pelo poder público nas discussões para organização da festa.

“Lamentamos muito não termos tido a oportunidade de contribuir em ações públicas com nosso ‘expertise difuso’, que sabe quantos carnavais de rua existem dentro do Carnaval de São Paulo, e como fazer cada nicho ser atendido”, diz o texto assinado pelo Fórum de Blocos de SP, União dos Blocos de Carnaval de Rua do Estado de São Paulo (UBCRESP) e a Comissão Feminina de Carnaval de São Paulo.

 

Fonte

Cnn
  • COMPARTILHE

Carnaval de rua é cancelado em São Paulo

06/01/2022 13:31


 


Além de São Paulo, outras 12 capitais cancelaram o Carnaval de rua: Campo Grande, Cuiabá, Teresina, Belém, Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Florianópolis e Curitiba, São Luís, Recife e Maceió.

O prefeito Ricardo Nunes explicou a decisão: “O cenário epidemiológico indica que na cidade de São Paulo nós teríamos que cancelar o Carnaval de rua e existiu uma proposta de se fazer um Carnaval controlado com passaporte da vacina em ambientes grandes e abertos, como o autódromo (de Interlagos), que também foi sugerido pela vigilância… Foi descartada essa possibilidade. As decisões da prefeitura são baseadas na ciência e respeito aos técnicos da Saúde”.

O Rio de Janeiro também cancelou os desfiles de rua. O anúncio foi feito no início da noite de terça-feira (4) pelo prefeito Eduardo Paes (PSD). Também foi mantido os desfiles das escolas na Sapucaí.

Blocos desistem em São Paulo

Antes da decisão da prefeitura de cancelar o Carnaval de rua, os blocos de São Paulo divulgaram um manifesto, na quarta-feira (5), já desistindo dos desfiles. As entidades afirmam que não foram incluídas pelo poder público nas discussões para organização da festa.

“Lamentamos muito não termos tido a oportunidade de contribuir em ações públicas com nosso ‘expertise difuso’, que sabe quantos carnavais de rua existem dentro do Carnaval de São Paulo, e como fazer cada nicho ser atendido”, diz o texto assinado pelo Fórum de Blocos de SP, União dos Blocos de Carnaval de Rua do Estado de São Paulo (UBCRESP) e a Comissão Feminina de Carnaval de São Paulo.

 

Fonte: Cnn