São Paulo de Fato

Falta de peças no elenco é principal problema do Corinthians e espinho na carne de Loss

Diante do Atlético-MG em casa, equipe chegou a ter sete desfalques e não saiu do empate

Diante do Atlético-MG em casa, equipe chegou a ter sete desfalques e não saiu do empate (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)

O aniversário de 108 anos do Sport Club Corinthians Paulista deveria ser comemorado em grande estilo – e com direito a vitória sobre o Atlético-MG, no entanto, tudo que a equipe do técnico Osmar Loss conseguiu foi um fraco empate em 1 a 1, pela 22ª rodada do Brasileirão, frustrando os quase 30 mil torcedores presentes na Arena de Itaquera. A partida revelou um problema sério que tem assolado o elenco alvinegro: a falta de bons jogadores.

A fragilidade técnica que já havia sendo percebida desde o desmanche durante a Copa com a saída de jogadores importantes como Rodriguinho e Balbuena, tem se tornado ainda mais grave, já que conforme o desgaste físico e as lesões, que são algo natural com o decorrer da segunda metade da temporada, os desfalques aparecem de tempos em tempos.

Contra o Galo foram sete titulares afastados: Fagner, Clayson e Douglas suspensos, Pedro Henrique machucado e Cássio, Henrique e Jadson poupados por desgaste, o que só aumentou a dor de cabeça de Loss que está passando por maus bocados desde sua chegada no Timão em maio.

A escalação ficou com Walter no gol, um quarteto de zaga formado por Mantuan, Léo Santos, Marllon e Danilo Avelar, Gabriel e Ralf os volantes, com Araos fazendo a ligação com o ataque que contava com Romero, Pedrinho e Roger.

Apesar do histórico convincente nas categorias de base do Coringão, o treinador de 43 tem tido uma missão não impossível, mas difícil para ele que é a de manter o bom legado da era Carille, atual campeão brasileiro inclusive.

Na última atuação do time, o que se viu foi um Corinthians desasjustado, remendado e sobrecarregado, que mal assustou o adversário mineiro e ainda tirou o sorriso do rosto da torcida ao tomar o empate, mesmo depois de um golaço de Pedrinho, de fora da área aos 19 do primeiro tempo.

Infelicidade de Gabriel, que colocou a mão na bola dentro da área após cruzamento e que a arbitragem assinalou pênalti convertido por Fábio Santos, aos 35 ainda na etapa inicial.

Sem falar nas estatísticas: foram 10 chutes do Galo contra sete dos anfitriões, e destes, o Timão acertou apenas um arremate, justamente o gol de Pedrinho. A posse de bola foi bastante equilibrada (56% a 44%) e as faltas foram muitas, com o Corinthians cometendo 16 contra 21 do Atlético.

E para não ser justo com o treinador do Timão, analisemos o retrospecto desde sua chegada: a partir do dia 24 de maio quando estreou contra o Millonarios da Colômbia pela Libertadores até aqui, Loss venceu apenas 10, empatou cinco e perdeu nove em 24 jogos. Seu ataque marcou 25 vezes e sua defesa foi vazada em 20 oportunidades (saldo de cinco gols). Antes de Loss, o Corinthians era um dos primeiros na tabela e atualmente já acumula 16 pontos atrás do líder São Paulo.

"Acho que o Corinthians teve uma mudança grande de jogadores, e toda mudança no meio de temporada gera dificuldades. Ninguém esconde isso, estamos em uma fase de reformulação. No jogo colocamos muitos jogadores que não vêm sendo titulares", explicou o técnico corinthiano que vê o mal momento como transitório.

Numa análise mais geral, o ataque do Corinthians hoje é ineficaz e a defesa bastante deficiente. Com o desmanche e os recorrentes desfalques, isso se torna ainda mais evidente.

“O Loss é um cara muito competente, um cara que o grupo gosta bastante, acho que o nível de treinamento que ele tenta propor é muito bom. Ele não está aqui de paraquedas. A equipe não vive em um momento com uma confiança boa, mas temos que ter força, união e apoio à comissão para as coisas ficarem mais fáceis”, disse em entrevista o volante Gabriel.

Enquanto a fase ruim não passa, o Corinthians deve se recuperar rápido no Campeonato Brasileiro, pois é o 8º com apenas 30 pontos, e beliscar uma vaga na final da Copa do Brasil. O próximo desafio é contra o Ceará, na quarta (5), às 20h, no Castelão, oportunidade em que Loss não poderá contar com Cássio afastado por lesão. Logo depois, o Alvinegro encara o arquirrival Palmeiras, no domingo, e o Flamengo, pelo mata-mata nacional no dia 12, ambos fora de casa.

 

BAIXE O APP SÃO PAULO DE FATO

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

INSCREVA-SE NOSSO CANAL NO YOUTUBE

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Veja também

Felipão é demitido do Palmeiras
03Jun

Felipão é demitido do Palmeiras

Reunião na Academia define a saída do treinador

Libertadores: Palmeiras enfrenta o Godoy Cruz, e Flamengo pega o Emelec
03Jun

Libertadores: Palmeiras enfrenta o Godoy Cruz, e Flamengo pega o Emelec

O Palmeiras é o dono da melhor campanha no geral..

Palmeiras revê San Lorenzo em SP após 20 anos de jogo que serviu como consolo
03Jun

Palmeiras revê San Lorenzo em SP após 20 anos de jogo que serviu como consolo

Grupo F da Copa Libertadores

Carille esboça time do Corinthians com novidades no ataque para pegar o Grêmio
03Jun

Carille esboça time do Corinthians com novidades no ataque para pegar o Grêmio

A maior novidade ficou na parte do ataque teste