São Paulo de Fato

Outubro Rosa

MITOS E VERDADES SOBRE O CÂNCER DE MAMA

Durante o mês de outubro, surgem diversos boatos sobre o câncer de mama - tanto nas redes sociais quanto na conversa entre amigos. Neste post, esclarecemos alguns pontos importantes sobre as causas e tratamentos. E lembrem-se: o autoexame e a consulta ao médico são fundamentais: quanto mais cedo for realizado o diagnóstico, maior é a chance de cura!

 “Quem menstrua muito cedo ou é mãe depois dos 30 anos tem maior probabilidade de desenvolver a doença.” Verdade. O risco aumenta porque essas mulheres menstruam mais vezes ao longo da vida, ficando excessivamente expostas aos hormônios estrogênio e progesterona.

 “Praticar uma atividade física ajuda na prevenção.” Verdade. Cerca de 30 minutos diários de caminhada são suficientes. E a atividade traz benefícios extras: mantém os ossos fortes e a cabeça tranquila.

 “Próteses de silicone podem causar câncer.” Mito. Não há relação entre câncer de mama e próteses de silicone. O único ponto negativo é que o implante pode dificultar o diagnóstico de tumores.

 “Homens podem ter câncer de mama.” Verdade. Apesar de raros (entre 0,5 a 1% dos casos de câncer de mama corresponde ao sexo masculino), nos últimos 25 anos, a medicina notou um aumento de quase 26% nas incidências do câncer de mama em homens.  

 “A amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama.” Verdade. A produção de leite aumenta as atividades das células mamárias. Ocupadas, tendem a diminuir as suas multiplicações. Alguns médicos afirmam que mulheres que amamentam por mais de seis meses têm chances bem menores de desenvolver a doença, já que o tecido glandular das mamas é substituído por gordura.

 “O câncer de mama é incurável.” Mito. Quando o câncer é identificado nos primeiros estágios da doença, a chance de cura é de 95%. Por isso, a realização do autoexame e o acompanhamento frequente ao médico é fundamental.

 “Tratamento hormonal ajuda cura de tumores na mama.” Mais ou menos. Conhecido por hormonoterapia, é considerado um tratamento alternativo funcional apenas quando o tumor possui algum receptor de hormônios (cerca de 60% dos casos).

 “O sutiã pode aumentar o risco de câncer de mama.” Mito. Não existem estudos que comprovem a ligação entre ambas as coisas.

 “Mulheres com seios menores têm menos chances de desenvolver câncer de mama.” Mito. Todas as mulheres podem desenvolver o câncer de mama.

 “Antitranspirantes e desodorantes favorecem o aparecimento do câncer de mama.” Mito. Nenhum estudo comprovou que o uso, seja de produtos roll on, spray ou aerosol, favoreçam o desenvolvimento da doença.

 
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Outubro Rosa

Durante o mês de outubro, surgem diversos boatos sobre o câncer de mama - tanto nas redes sociais quanto na conversa entre amigos. Neste post, esclarecemos alguns pontos importantes sobre as causas e tratamentos. E lembrem-se: o autoexame e a consulta ao médico são fundamentais: quanto mais cedo for realizado o diagnóstico, maior é a chance de cura!

 “Quem menstrua muito cedo ou é mãe depois dos 30 anos tem maior probabilidade de desenvolver a doença.” Verdade. O risco aumenta porque essas mulheres menstruam mais vezes ao longo da vida, ficando excessivamente expostas aos hormônios estrogênio e progesterona.

 “Praticar uma atividade física ajuda na prevenção.” Verdade. Cerca de 30 minutos diários de caminhada são suficientes. E a atividade traz benefícios extras: mantém os ossos fortes e a cabeça tranquila.

 “Próteses de silicone podem causar câncer.” Mito. Não há relação entre câncer de mama e próteses de silicone. O único ponto negativo é que o implante pode dificultar o diagnóstico de tumores.

 “Homens podem ter câncer de mama.” Verdade. Apesar de raros (entre 0,5 a 1% dos casos de câncer de mama corresponde ao sexo masculino), nos últimos 25 anos, a medicina notou um aumento de quase 26% nas incidências do câncer de mama em homens.  

 “A amamentação ajuda a prevenir o câncer de mama.” Verdade. A produção de leite aumenta as atividades das células mamárias. Ocupadas, tendem a diminuir as suas multiplicações. Alguns médicos afirmam que mulheres que amamentam por mais de seis meses têm chances bem menores de desenvolver a doença, já que o tecido glandular das mamas é substituído por gordura.

 “O câncer de mama é incurável.” Mito. Quando o câncer é identificado nos primeiros estágios da doença, a chance de cura é de 95%. Por isso, a realização do autoexame e o acompanhamento frequente ao médico é fundamental.

 “Tratamento hormonal ajuda cura de tumores na mama.” Mais ou menos. Conhecido por hormonoterapia, é considerado um tratamento alternativo funcional apenas quando o tumor possui algum receptor de hormônios (cerca de 60% dos casos).

 “O sutiã pode aumentar o risco de câncer de mama.” Mito. Não existem estudos que comprovem a ligação entre ambas as coisas.

 “Mulheres com seios menores têm menos chances de desenvolver câncer de mama.” Mito. Todas as mulheres podem desenvolver o câncer de mama.

 “Antitranspirantes e desodorantes favorecem o aparecimento do câncer de mama.” Mito. Nenhum estudo comprovou que o uso, seja de produtos roll on, spray ou aerosol, favoreçam o desenvolvimento da doença.